Cliente bem servido!

Você já passou pela experiência ao sair de um restaurante e exclamar "Fui bem servido!" Uma frase que diz tudo em relação a um tipo de serviço e produto: atendimento, atenção, gentileza, simpatia, interesse, pratos que não deixam aquela sensação de que você foi enganado. Acima de tudo, receitas saborosas, que trazem a certeza de que você está na casa da sua mãe ou da sua avó. "Gente, coma mais!"

Este sentimento de oferecer sempre algo a mais para clientes e parceiros é algo que cativa e faz você indicar e falar da empresa. “$omar detalhes”, como diziam os antigos, passa um perfil de que a empresa dá prioridade ao financeiro como valor principal. E deixa de lado outros conceitos importantes nesta “Nova Renascença”, como vem sendo analisada a Internet por grandes pensadores.

O que renasceu com as novas tecnologias são novos valores norteadores das relações empresariais, em que a colaboração é algo tão valioso quanto o total monetário da proposta. Em linhas gerais: por que cobrar indiscriminadamente por tudo que está fora do contrato? Quando trabalhava em um grande grupo nacional, certa ocasião fiquei espantado com um fornecedor de serviços de comunicação. Em uma das linhas estava discriminado: “Contato telefônico de 7’30”. Uau! isto é que é cobrar!

Em época de disseminação de conhecimento, cada contato é um aprendizado. Seja do cliente em relação à empresa, seja a empresa em relação ao cliente. Se o cliente quer um pouco mais de “feijão”, “maionese” ou “arroz”, com certeza isto não vai prejudicar sua planilha de custos, muito menos comprometer o andamento do trabalho.

Claro que aí entra o bom senso, tão útil e tão em falta em algumas empresas e clientes. Mas a empresa tem meios de perceber, fazendo distinção entre os clientes colaborativos e aqueles que querem tudo de graça, recusando-se a pagar qualquer coisa que esteja fora do contrato inicial. Estes últimos, com certeza, não se tornarão parceiros e não se interessam em manter uma relação saudável com a empresa para avanços futuros.

Gosto de lembrar que o fornecedor de novas tecnologias e Internet é um dos fornecedores mais importantes das empresas. Deve ser cultivada uma relação de confiança e franqueza, em toda e qualquer situação.

Muito longe de uma visão “mecanicista”, é esse fornecedor que cuida do relacionamento direto com consumidores de produtos e serviços, administrando e criando de sites, lojas virtuais, blogs e novos sistemas. Será esse fornecedor que poderá permitir “saltos quânticos” no relacionamento, criando ações admiráveis e de fortalecimento de reputação.

No fundo, isto serve para todos nós. Ser lembrado como uma empresa que tem pratos de qualidade e “bem servidos”.