Inadimplência do consumidor cai 2,8% em setembro

Do Jornal GGN - O índice de inadimplência do consumidor permanece em queda. Dados da consultoria Serasa Experian mostram que o índice diminuiu 2,8% em setembro em relação ao mês anterior, representando sua quarta queda mensal consecutiva. Na relação com os números de setembro de 2012, a queda chegou a 10,8%. Nos primeiros nove meses do ano ante o mesmo período de 2012, o índice perdeu o fôlego e apresentou alta de 0,7%. Nos primeiros oito meses do ano, o indicador havia registrado crescimento de 2,2%.

 

De acordo com a consultoria, a manutenção das baixas taxas de desemprego, o recuo da inflação após as fortes altas verificadas durante o primeiro semestre e a atitude mais cautelosa dos consumidores perante a contratação de novas operações de crédito têm contribuído para queda sistemática da inadimplência ao longo dos últimos meses.

As dívidas não bancárias (junto aos cartões de crédito, financeiras, lojas em geral e prestadoras de serviços como telefonia e fornecimento de energia elétrica, água etc.) e a inadimplência com os bancos foram as principais responsáveis pela queda do indicador, com variações negativas de 2,6% e 2,9% e contribuições negativas de 1,1 ponto percentual e 1,3 ponto, respectivamente. Os títulos protestados também caíram 20% e registraram uma contribuição negativa de 0,3 ponto. Os cheques sem fundos apresentaram variação e contribuição nulas no índice de setembro.

O valor médio dos títulos protestados caiu de 5,2% de janeiro a setembro de 2013, na comparação com o mesmo período do ano anterior, passando de R$ 1.458,58 para R$ 1.382,66. As dívidas não bancárias foram reduzidas em 4,6%, de R$ 330,81 para R$ 315,70. Já os cheques sem fundos e as dívidas com os bancos subiram 9,2% (de R$ 1.503,91 para R$ 1.642,30) e 2,4% (de R$ 1.298,54 para R$ 1.330,14), respectivamente.