Profissão: Nenhuma!
Por Flavio Augusto da Silva, do Geração de Valor

Apesar de tentarem nos convencer do contrário, não somos robôs.



Outro dia, preenchendo uma ficha de cadastro num clube aqui em Portugal, daquelas fichas que você preenche no piloto automático, dei de cara com o campo PROFISSÃO para ser preenchido. Geralmente eu preencho "empresário", mas neste dia eu fiquei alguns segundos a mais pensando: "porque eu teria que ter uma, já que abandonei a minha faculdade para me concentrar em meu projeto?" Afinal, "empresário" não é uma profissão. Como não gosto de fazer nada que não tenha sentido, apenas para seguir o fluxo, escrevi: NENHUMA.

Depois fiquei imaginando alguém lendo este cadastro e se perguntando perplexa "como pode alguém não ter uma profissão?" Talvez ela ficasse com pena de mim ou atribuísse este fato a alguém desqualificado, incapaz ou até sujeito a não ser aceito como membro do clube, afinal, um clube exclusivo como aquele não poderia receber alguém neste nível...

O fato é que ninguém me incomodou, não me perguntaram nada e presumo que sequer leram o que escrevi, porque de fato, muito da burocracia pública ou privada não faz sentido algum e acaba por gastar o tempo desnecessariamente de seus usuários.

Assim como preenchemos cadastros no piloto automático sem questionar as razões e cumprimos rotinas inúteis da burocracia, muitas vezes vivemos no piloto automático em nosso dia a dia, trabalhamos no piloto automático e nos relacionamos como robôs, seguindo o fluxo sem questionar simplesmente porque todo mundo faz desde sempre. Viver desta forma, como infelizmente muitos vivem, é abdicar do privilégio de pensar e usar a sua inteligência, uma das características que nos diferem de um chimpanzé, por exemplo.

É óbvio que depois de mais de 20 anos empreendendo, liderando um grupo de empresas que fundei com mais de 10 mil funcionários, expandindo internacionalmente por 5 Países, desenvolvendo produtos, liderando um setor da economia, gerando milhões de dólares em impostos todos os anos e realizando por fim um M&A (Se não sabe o que é M&A, pesquise no Google), um dos maiores da história do setor da educação no Brasil, quando digo que não tenho uma profissão, obviamente estou ironizando este sistema que nunca desiste de tentar nos limitar, porque formalmente não tenho uma, mas de fato e pelos meus resultados alcançados, torna-se desnecessário qualquer comentário a respeito.

Pra finalizar, o que vale neste momento ressaltar é que os que desejam conquistar mais em sua vida, antes de tudo devem começar a questionar mais, a começar sobre os padrões que lhes são impostos desde criança, sobre os caminhos que as grandes massas seguem submissas e sobre os seus objetivos na vida e se estes de fato serão alcançados seguindo a manada. É claro que não. Quem pensa nisso, ou desiste imediatamente de seus sonhos ou busca alternativas fora do padrãozinho convencional.

Certamente, somos mais felizes quando pensamos com o nosso próprio cérebro, desenvolvemos os nossos próprios caminhos e ligamos o motor de popa da embarcação de nossa história em vez de apenas sermos conduzidos, como muitos, pela correnteza da estagnação.

Para tomar esta decisão faz-se necessário ter coragem, muita coragem, em especial para contrariar a lógica, ser resistente `as críticas, manter a auto-estima em alta apesar dos olhares de desprezo e a falta de apoio daqueles que mais esperávamos compreensão e incentivo.

O mais legal disso tudo, apesar de muita luta e muitas vezes de muitas lágrimas, é quando o resultado chega; quando começamos a colher resultados de destaque, os que não apoiaram começam a se darem conta de seu sucesso e passam a dar tapinhas nas costas, alguns felizes e reconhecendo que você realmente tomou a decisão certa e outros, meio desconcertados, com um sorriso amarelo, dizendo que sabiam desde o princípio que você venceria. Sabiam sim... rss

Conheça a página do Geração de Valor no Facebook.