Cápsula contra o odor do “pum” é lançada por empresa brasileira
Foi no estudo para análise das propriedades das cápsulas de óleo de alho, da linha Pholias®, que a empresa Attivos Magisttrais (www.pholias.com.br) chegou a uma importante verificação para quem sofre constrangimentos com os odores das flatulências.

Nesta entrevista, a Dra. Joseth Gimenes, da Attivos Magisttrais, empresa responsável pela linha PHOLIAS - cápsulas de óleo de alho, esclarece detalhes a respeito do lançamento do produto.

Quanto tempo duraram as pesquisas e como foram feitas até a definição do resultado?

Nossa empresa tem mais de 40 anos de mercado, e há oito inauguramos o Centro de Pesquisa com sede em Barueri, São Paulo. Destacamos entre vários insumos de sucesso a PholiaMagra e a PholiaNegra. No caso, a disfunção chamada “disbiose intestinal”, responsável pelos fortes odores da flatulência, tem sido alvo de nossas pesquisas há três anos.

Como pesquisadora, era uma reclamação comum o odor de flatulências?

Sim. Muitas pessoas reclamam do odor das flatulências, utilizando-se muitas vezes de certa jocosidade, por se tratar de um assunto um pouco constrangedor a quem possui este problema. Porém, este tema não deve ser tratado como brincadeira, pois pode ser sintoma de algo mais grave, como a disbiose intestinal. E esta pode ser causa ou coadjuvante no desenvolvimento de doenças crônicas degenerativas, como obesidade, diabetes, hipertensão arterial sistêmica, bem como de pancreatites, obstipação, diarreia, alergias e intolerâncias alimentares, dentre outras patologias. O assunto é sério!

O “pum” é natural ou não? A partir de que momento passa a ser um caso médico?

Sim, os flatos são naturais. São resultados da fermentação dos alimentos que ingerimos realizada por bactérias que vivem naturalmente em nosso organismo, em nosso intestino. O caso passa a ser médico quando estes flatos começam a atrapalhar a rotina da pessoa, seja devido ao excesso, ao odor ou ambos, daí pode ser um indício de algum problema gastrointestinal mais sério.

No Brasil, existem pesquisas em relação a flatulências excessivas?

Existem, sim. Porque o excesso de flatulências pode indicar um perigo maior, como a disbiose intestinal, e esta patologia é um tema de interesse das ciências médicas. A pesquisa de excesso de flatos vincula-se a outros temas também, como os alimentos, quais são os que naturalmente produzem gases, por exemplo: feijão, couve-flor, repolho etc.; há também remédios que têm como efeito colateral o aumento da produção de gases; e ainda a condição em que a pessoa se encontra, por exemplo: gravidez, efeito colateral de alguma cirurgia, como a de redução de estômago. Então é um tema que está em contato com vários outros e que interessa a muitas pessoas.

Muitas pessoas já tomam pílulas de alho; o que diferencia o produto da Pholias?

As cápsulas de óleo de alho da linha Pholias são especiais. O óleo de alho é importado e possui teores padronizados de substâncias antioxidantes.

Se acabar com o odor do pum e gerar o odor do mau hálito em consequência da ingestão do alho, aí não resolve nada, não é mesmo? Só transfere o problema. A pergunta simples seria: “O produto elimina o odor do pum, mas será que ele produz mau hálito decorrente da ingestão de alho?” As cápsulas de óleo de alho da linha Pholias são digeridas pelos ácidos do estômago, mas em maior parte são liberadas no intestino, o que permite uma boa ação intestinal e minimiza vestígio de hálito característico.
(Por Manoel Fernandes Neto)